Sintomas das principais doenças do esôfago

Posted on

Quando ocorre uma hemorragia por varizes esofágicas fora dos grandes centros, não há a opção de tratamento farmacológico com vasodilatadores esplâncnicos, endoscopia de urgência.

São consideradas indicações para endoscopia digestiva alta terapêutica, entre outras: Tratamento de varizes de esôfago e estômago (profilaxia ou em vigência do sangramento). Nas varizes de maior calibre, este tratamento pode não dar o melhor resultado, mas é capaz de diminuir o seu tamanho, sendo necessária mais de 1 aplicação na mesma variz. Alterações na circulação do sangue através do fígado de um paciente com cirrose levam certas veias do esôfago e do estômago a se dilatarem, tornando-se mais frágeis. Tumores benignos ou malignos (câncer) do esôfago, estômago ou intestinos podem causar hemorragia, que pode, inclusive, ser a primeira manifestação da doença. Como regra geral, os sangramentos do esôfago, estômago e duodeno (primeira porção do intestino, em seguida do estômago), causam ou hematêmese (vômito com sangue) ou melena (fezes pretas). As varizes do esôfago ocorrem devido ao aumento da pressão no sistema venoso que leva sangue ao fígado. Esta última é uma infecção parasitária que pode causar uma obstrução hepática, levando a um aumento da pressão na veia porta. Não existe vacina para prevenir a infecção pelo vírus da hepatite C. Se um doente tiver varizes esofágicas, o tratamento pode prevenir a hemorragia. Tratamento O tratamento de emergência da hemorragia por rotura de varizes esofágicas começa pela administração de sangue e de soros por via endovenosa para compensar a perda de sangue.

Saiba mais sobre as varizes. Como surgem, causas principais, sintomas e como evitar. Medicamentos e até cirurgias são os tratamentos mais indicados.

  • um teste para procurar sangue em suas fezes
  • uma endoscopia digestiva alta

As varizes esofágicas são veias inchadas nas paredes do esôfago.

As varizes esofágicas são veias inchadas no revestimento do esôfago inferior perto do estômago. Todo o paciente com varizes de esôfago deve fazer acompanhamento periódico com o seu médico que além de prescrever medicamentos, pode solicitar a ligadura elástica das varizes quando achar necessário. Outras causas de hipertensão portal e varizes esofágicas são coágulos de sangue nas veias que transportam o sangue do e para o fígado e a esquistossomose. O tratamento emergente da hemorragia devido à rotura de varizes esofágicas é feito, inicialmente, pela administração de soros e de sangue por via endovenosa. Embora a pressão por mais de 24 horas possa ser necessária para controlar o sangramento, pode provocar edema, esofagite, ulcerações e perfuração de esôfago. Mas o maior risco das varizes é a inflamação da parede da veia: o sangue tende a coagular e pode provocar uma Tromboflebite. As varizes esofágicas são veias anômalas e dilatadas que se formam no esôfago, geralmente na sua metade inferior, e que são uma consequência possível das doenças crônicas do fígado. Freqüentemente, o primeiro sintoma da trombose da veia porta é o sangramento de varizes esofágicas (veias varicosas) localizadas na extremidade inferior do esôfago. 5- Sangramento digestivo A obstrução da veia porta causa um aumento de pressão por todo os sistema venoso do sistema digestivo, incluindo as veias do estômago e do esôfago.

Que outros factores de risco podem causar infecção renal?

  • Edema e ascite: Quando o fígado perde a capacidade de produzir uma proteína chamada albumina em quantidade suficiente, líquido se acumula nas pernas (edema) e na cavidade abdominal (ascite).

O sangramento de varizes de fundo gástrico é mais grave entre as varizes gástricas e está associado com uma maior taxa de morte do que o sangramento de varizes esofágicas.

As varizes esofágicas são deformações patológicas e dilataçoes permanentes das veias na parte inferior do esôfago, o tubo que liga a garganta ao estômago. O tratamento para reduzir a pressão arterial do sangue na veia pode reduzir o risco de sangramento de varizes esofágicas. São veias dilatadas e tortuosas, geralmente localizadas no terço inferior do esôfago, na região esofagogástrica, em consequência do aumento da pressão do sangue causada principalmente pela cirrose do fígado. O aumento da tensão do sangue nessas veias forma varizes no estômago e principalmente no esôfago. Transmitida pelo vírus VHC, principalmente, por meio de sangue contaminado, é uma doença viral, que pode causar a inflamação do fígado. A azia no estomâgo que volta para o esôfago pode causar inflamação do esôfago (esofagite) que pode causar hemorragia. A endoscopia alta é mais precisa que o exame radiológico para detectar inflamações, úlceras ou tumores (benignos ou malignos) do esôfago, estômago e duodeno. Quando o sangue é limpo a partir do sistema através da veia porta via colaterais gástricos vasos nas veias esofágicas, pelo que a pressão nele é aumentada significativamente. O método mais informativo do diagnóstico de varizes esofágicas é esofagogastroduodenoscopia - quando visto a partir do lúmen do corpo através do endoscópio pode ver as veias azuladas abaulamento nós.

Principais tipos de tratamento das varizes esofágicas

  • Dosagem da função do fígado;
  • Endoscopia do esôfago e estômago;
  • Ultra-sonografia do fígado e do sistema venoso portal;
  • Doppler da veia porta e da veia esplênica;
  • Biópsia do fígado.

As varizes esofágicas são veias anormalmente dilatadas localizado no final do esôfago, e que se comunicam com o fígado.

A hepatite C, uma infecção transmitida pelo sangue, pode danificar o fígado e, eventualmente, levar à cirrose. Tratamento de varizes inchadas – se o paciente vomita sangue ou passa fezes com sangue, eles provavelmente têm varizes esofágicas (no tubo de comida). A endoscopia também pode ser chamada de esofagogastroduodenoscopia, pois é um exame endoscópico que permite a visualização direta do interior do esôfago, estômago e duodeno. O paciente cirrótico possuiu um fígado cheio de fibrose, o que pode provocar a obstrução da chegada do sangue ao fígado pelo sistema porta. O paciente com cirrose habitualmente tem as veias abdominais bem nítidas, pois elas passam a receber grandes volumes de sangue vindos da veia porta obstruída. Para as varizes de esôfago, o tratamento é feito através da endoscopia digestiva. Além de causar insuficiência do fígado, pode causar também hipertensão do “sistema porta” com formação de varizes no esôfago e risco de sangramento digestivo. Em pacientes cirróticos, ele pode variar desde líquido claro como água até francamente purulento, mas, no paciente com cirrose sem infecção secundária, o líquido costuma ser amarelo citrino. Uma das principais complicações do câncer de esôfago é a disfagia, ou seja, a dificuldade que o paciente tem de se alimentar com alimentos sólidos ou líquidos.

2. Endoscopia para varizes do esôfago

A endoscopia pode atuar no câncer de esôfago precoce, onde através de uma técnica específica pode-se remover a lesão.

A presença de sangue nas fezes, seja vivo ou digerido (geralmente sob a forma de fezes escuras ou negras), sempre causa grande apreensão ao paciente e a seus familiares. Todavia, a ectasia vascular pode causar desde sangramentos volumosos até um quadro assintomático, onde o paciente apresenta apenas perda oculta de sangue.